Ops!!!

Não era bem isso que você esperava encontrar???

Mas não se preocupe, se você chegou até aqui
é porque ainda não sabe da grande novidade.

Pois bem, passamos por uma reformulação completa e agora mudamos de endereço. 

Oxe o que e

A partir de agora todo os posts publicados no blog do ÔXE! estão abrigados neste novo endereço.

Então sem mais delongas, para continuar acompanhando o ÔXE!, saber de todas as novidades da Associação Cultural CONPOEMA e do Teatro Girandolá, acesse:

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Últimos dias de "Juquery: memórias de quase vidas"

Aumentar texto Diminuir texto
4º fim de semana de apresentações do espetáculo “Juquery: memórias de quase vidas” fechou a temporada na Casa de Cultura de Franco da Rocha com a certeza de precisar voltar a ser apresentado em breve, na cidade, região e também capital paulista, disseminando esta história de uma cidade que carrega tantas marcas de seu povo marginalizado e excluído, e que teve sua história construída como um espelho de seu tempo.

O espetáculo ao expor a história do Complexo Hospitalar do Juquery, o qual deu origem a formação de toda a nossa região, bem como os paralelos que traçou a respeito da vida que levamos nos dias de hoje e a loucura social, busca discutir política e socialmente como e porquê surgiram cidades como Franco da Rocha, tidas como cidades-dormitório.


Ao ser apresentada em Mairiporã, na sexta-feira passada, dia 21, o público presente se emocionou e revelou mais uma face desta história, uma cidade distante das demais nascidas irmãs, hoje com características bem diferentes de Franco, Caieiras e Morato, por opção, Mairiporã quis se apartar para não ser confundida com a cidade dos loucos, tamanho fardo. Mas lá estava o espetáculo, resgatando as raízes e mais uma vez abrindo espaço para discussão e construção do pensamento coletivo.

Através dos bate-papos também é possível perceber que o espetáculo toca profundamente o espectador, e por diversos vieses, sejam moradores da cidade ou não, sejam funcionários, filhos, netos ou não, sejam partes diretas desta história ou não, ele se desenhou de maneira delicada, respeitosa e acima de tudo, humana, arrebatando os presentes pela verdade construída em cada personagem através dos atores criadores. Veja abaixo como foi a apresentação de Mairiporã:


A temporada foi muito bem recebida por onde passou, em especial na Casa de Cultura de Franco da Rocha, com apresentações lotadas, filas de espera, e público voltando mais e mais vezes. De fato, dias de muita alegria para o Teatro Girandolá, que se sentiu abraçado e acolhido por esta cidade, pela Secretaria de Cultura e em especial pela Taiana Garcia, Secretária Adjunta de Cultura, que apoiou esta realização, acreditando no trabalho e potencial do grupo, e de nossa Associação ConPoeMa, ao convidar o espetáculo para esta temporada de 9 apresentações, integrando a programação de aniversário de 70 anos da cidade.
Confira as fotos das apresentações na Casa de Cultura!

Sábado (22/11)


Domingo (23/11)



Nosso muito obrigado a todos que participaram destes dias, e colaboraram para concretização deste nosso sonho, de realizar ações culturais em nossa região, valorizar o trabalho do artista local, e despertar artisticamente este nosso quintal.
último dia de apresentação do espetáculo neste ano, será em Caieiras, no dia 29, próximo sábado, às 20h, então não perca! Se organize, convide os amigos e familiares, e volte sempre!

Endereço: NEC Centro – Rua João Martins Ramos, 10, Jardim São Francisco, Caieiras, SP
Outras informações: 4488-8524 ou acesse aqui o site do Girandolá e saiba mais sobre o espetáculo.

A produção e a temporada de estreia do espetáculo foi financiada pelo ProAC 2013, Programa de Ação Cultural da Secretaria de Estado da Cultura, a temporada de estreia é uma co-realização da Prefeitura de Franco da Rocha e contou com o apoio das prefeituras de Caieiras e Mairiporã, do Complexo Hospitalar do Juqueri e da Cooperativa Paulista de Teatro.
O espetáculo é recomendado para maiores de 16 anos, e é apresentado gratuitamente, atendendo a 40 espectadores por sessão. Os ingressos são distribuídos com 1 hora de antecedência, no local da apresentação.