Ops!!!

Não era bem isso que você esperava encontrar???

Mas não se preocupe, se você chegou até aqui
é porque ainda não sabe da grande novidade.

Pois bem, passamos por uma reformulação completa e agora mudamos de endereço. 

Oxe o que e

A partir de agora todo os posts publicados no blog do ÔXE! estão abrigados neste novo endereço.

Então sem mais delongas, para continuar acompanhando o ÔXE!, saber de todas as novidades da Associação Cultural CONPOEMA e do Teatro Girandolá, acesse:

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Relicário de Concreto no Girandolá ConPoeMa Recebe...

Aumentar texto Diminuir texto
E além da estreia do Teatro Girandolá, no domingo os francorrochenses puderam conferir o espetáculo "Relicário de Concreto", do Grupo Pandora de Teatro, que veio de Perus para mostrar um fragmento poético sobre a história da greve de sete anos da Fábrica de Cimento de Perus.

Esse ano o grupo completa 10 anos de existência e resistência na região de Perus, tendo montado os espetáculos: “O Senhor Puntilla e seu Criado Matti” de Bertold Brecht; "A Igreja do Diabo", adaptação do conto homônimo de Machado de Assis; "Tietê, Tietê", de Alcides Nogueira; “Jesus-Homem”, de Plínio Marcos; “A Revolta dos Perus”, dramaturgia coletiva escrita a partir da história de Perus; “Canibais Vegetarianos Devoram Planta Carnívora”, criação colaborativa com dramaturgia de Vince Vinnus.
E agora, o Pandora leva aos espectadores o "Relicário de Concreto", inspirado nas memórias dos trabalhadores guerreiros dessa fábrica que carrega tantas histórias. A Fábrica de Cimento Portland Perus teve sua história marcada pela Greve dos Queixadas, onde funcionários insatisfeitos com as condições de trabalho que eram submetidos na época decidiram que, em 1962, fariam uma greve, que foi a greve mais longa do país, com duração de sete anos.

Muitos homens e suas famílias passaram necessidades, mas se mantiveram firmes na luta durante os sete longos anos de batalha, em plena época de ditadura militar no Brasil. O Pandora coloca várias memórias e elementos que nos transportam para a Fábrica de Cimento, com uma linguagem poética o grupo consegue tratar da dualidade Queixada/Pelego, falando também daqueles que não aderiram à greve e como esse ato também foi doloroso para esses homens. Pra você que não foi, abaixo as imagens:

"Não nascemos para ser pedra!"


Ao Pandora, nosso agradecimento pela parceria e vida longa ao Relicário de Concreto!
Saiba mais sobre o grupo aqui. E sexta-feira agora tem mais duas atrações do Girandolá ConPoeMa Recebe... clique aqui para saber mais e compareça!