Ops!!!

Não era bem isso que você esperava encontrar???

Mas não se preocupe, se você chegou até aqui
é porque ainda não sabe da grande novidade.

Pois bem, passamos por uma reformulação completa e agora mudamos de endereço. 

Oxe o que e

A partir de agora todo os posts publicados no blog do ÔXE! estão abrigados neste novo endereço.

Então sem mais delongas, para continuar acompanhando o ÔXE!, saber de todas as novidades da Associação Cultural CONPOEMA e do Teatro Girandolá, acesse:

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Hawe'ete, 2014!!!

Aumentar texto Diminuir texto
Ontem o Teatro Girandolá começou a jornada de apresentações de todos os seus espetáculos numa mesma semana, e foi a vez dos caieirenses conferirem a terceira montagem do grupo. O espetáculo "Ara Pyau - Liturgia para o povo invisível" foi apresentado no PEC (antigo MAC) e levou ao público o resultado da pesquisa realizada em 2011 e 2012 nas aldeias guarani do Jaraguá.

A última apresentação desse espetáculo nesse ano foi ontem, e como sempre, o grupo chegou cedo no espaço para prepará-lo, e antes das 19h já se instaurava ali um clima diferente, com cheiro de terra, sons de instrumentos musicais e canções, a erva mate e a fumaça do Petinguá, que energizava o ambiente. O Girandolá se preocupa em construir um ambiente que se aproxime da sensação que os atores-criadores tiveram ao entrar nas terras dos guarani-mbyas do Jaraguá.

O espetáculo-ritual mostra poeticamente como foi o encontro do grupo com essa cultura milenar dos povos originários do Brasil, que merecem nosso respeito e admiração, mas que na maioria das vezes, são desrespeitados pela maioria dos brasileiros, que os ignora e os tornam invisíveis perante a sociedade, que não os reconhece como os verdadeiros donos desse chão.

Depois das cenas e músicas apresentadas na peça, o grupo sempre abre uma roda de bate papo para discutir junto com a plateia as questões ligadas à essa comunidade. É sempre bom lembrar que a luta desses indígenas é constante, eles lutam diariamente por dignidade e por viverem com o mínimo de condições dentro da cidade de São Paulo.

Esses povos estão cada vez mais fortalecidos, indo à luta, se politizando, realizando manifestações e o mais importante, mantendo sua cultura, sua religiosidade, e dessa forma, mostrando para todos que os indígenas existem sim, e estão muito próximos, não estão presos nos livros de histórias e que, assim como a gente, merecem comer bem, beber, ter uma casa, saneamento básico, saúde, acesso à cultura e lazer, gozar dos mesmos direitos que nós e acima de tudo, viver nessa terra, que é deles, mas que foi invadida em 1.500 e que até hoje, muitos querem massacrar essa gente. Todos nós temos obrigação de entrar nessa luta e fortalecer a nossa raiz indígena.

O Girandolá quer celebrar toda a beleza dessa cultura e contribuir com a luta dos indígenas das Aldeias Tekoa Pyau e Tekoa Ytu, do Jaraguá, que é apenas uma parte das lutas indígenas que resistem pelo Brasil afora. Fique com as imagens da apresentação e faça sua parte, contribua com os nossos parentes! Essa apresentação fez parte do 1º Festival de Arte e Cultura de Caieiras, que vai até dia 30/11, confira aqui a programação completa.


Para saber mais sobre o "Arau Pyau", clique aqui e para mais informações, ligue 4488-8524.