Ops!!!

Não era bem isso que você esperava encontrar???

Mas não se preocupe, se você chegou até aqui
é porque ainda não sabe da grande novidade.

Pois bem, passamos por uma reformulação completa e agora mudamos de endereço. 

Oxe o que e

A partir de agora todo os posts publicados no blog do ÔXE! estão abrigados neste novo endereço.

Então sem mais delongas, para continuar acompanhando o ÔXE!, saber de todas as novidades da Associação Cultural CONPOEMA e do Teatro Girandolá, acesse:

terça-feira, 18 de novembro de 2014

3º fim de semana de "Juquery: memórias de quase vidas"!

Aumentar texto Diminuir texto
A temporada de estreia do espetáculo “Juquery: memórias de quase vidas”, do Teatro Girandolá, tem sido um grande sucesso, repercutindo em toda a região. Todos os dias com a Casa de Cultura de Franco da Rocha cheia, o grupo tem se surpreendido com a grande adesão do público às apresentações, por ser a primeira temporada que realizam na cidade.

A história do Complexo Hospitalar do Juquery e da formação da cidade e região, tem atraído caras novas para o teatro, o que é uma grande felicidade, e uma porta aberta para a formação de público para apresentações futuras. Moradores antigos da cidade, antigos funcionários do hospital, professores e historiadores, se misturam aos rostos da nova juventude, que buscam informações do que foi e a importância deste espaço físico e imaginário para a história da região, do estado e do Brasil.
Neste fim de semana, dia 14, o espetáculo também foi apresentado no Espaço Girandolá, em Francisco Morato, voltando para a Casa de Cultura, nos dias 15 e 16. Abaixo as fotos no Girandolá:


A peça retrata e convida o público a emergir na experiência do enclausuramento, se tornando parte integrante das cenas, que são conduzidas de acordo com a vivência dada no momento de cada apresentação. O tipo de público, seja pela cor ou gênero, ajudam a história a ser contada, e melhor compreendida pela ótica da higiene social. A relação de ator, personagem e plateia, se misturam, e criam a grande tensão do espetáculo. Talvez, seja o que tem surpreendido e agradado o público, que deixa de ser um mero espectador, por isso retornando e trazendo outros para terem também esta experiência.

Ao saírem do espetáculo, o público tem compartilhado as sensações vividas, desde o resgate de suas memórias da infância, memórias antigas de acontecimentos importantes para a cidade que o texto também sugere, como a enchente de 1987, ou o contato que já tiveram com pacientes, entre outras diversas histórias despertadas no decorrer da apresentação. São sensações de orgulho das raízes, de fortalecimento da identidade, de indignação e tristeza pela história de opressão e abandono, de desejo de mudança, e esperança. A possibilidade de se reconhecer, se entender em seu local, é a porta para a autotransformação, e essa, a passagem para um novo olhar pro mundo. Agora confira as fotos da apresentação de domingo na Casa de Cultura de Franco:


A temporada de estreia do espetáculo já está chegando ao fim, continua apenas até o dia 29 de novembro, passando ainda também pelas cidades de Mairiporã e Caieiras. Não perca a oportunidade de ver o que os artistas locais estão criando! Prestigie!

Confira a programação logo abaixo:
21/11 às 20h - Espaço da Cultura (Mairiporã)
22/11 às 20h - Casa de Cultura (Franco da Rocha)
23/11 às 20h - Casa de Cultura (Franco da Rocha)
29/11 às 20h - NEC Centro (Caieiras)

Endereços:
Casa de Cultura – Boulevard Giuliano Cechettinni, s/n°, Centro, Franco da Rocha, SP
Espaço Girandolá – Av. São Paulo, 965, Vila Suíça, Francisco Morato, SP
Espaço da Cultura – Rua 15 de novembro, 171, Centro, Mairiporã, SP
NEC Centro – Rua João Martins Ramos, 10, Jardim São Francisco, Caieiras, SP
Outras informações: 4488-8524 ou acesse aqui o site do Girandolá e saiba mais sobre o espetáculo.

A produção e a temporada de estreia desse novo espetáculo está sendo financiada pelo ProAC 2013, Programa de Ação Cultural da Secretaria de Estado da Cultura, a temporada de estreia é uma co-realização da Prefeitura de Franco da Rocha e conta com o apoio das prefeituras de Caieiras e Mairiporã, do Complexo Hospitalar do Juqueri e da Cooperativa Paulista de Teatro.

O espetáculo é recomendado para maiores de 16 anos, e é apresentado gratuitamente, atendendo a 40 espectadores por sessão. Os ingressos são distribuídos com 1 hora de antecedência, nos locais das apresentações.