Ops!!!

Não era bem isso que você esperava encontrar???

Mas não se preocupe, se você chegou até aqui
é porque ainda não sabe da grande novidade.

Pois bem, passamos por uma reformulação completa e agora mudamos de endereço. 

Oxe o que e

A partir de agora todo os posts publicados no blog do ÔXE! estão abrigados neste novo endereço.

Então sem mais delongas, para continuar acompanhando o ÔXE!, saber de todas as novidades da Associação Cultural CONPOEMA e do Teatro Girandolá, acesse:

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Pés no chão e energia da pior estirpe!

Aumentar texto Diminuir texto
Ontem, dia 28, foi dia de encerramento do "E(s/x)tirpe - Encontro Para Celebração e Rito", encontro realizado pelo grupo Contadores de Mentira, nossos parceiros e guerreiros da cultura, que resistem fazendo arte desde 1995. Desde o dia 10, o grupo está realizando atividades com outros grupos parceiros, que entendem que fazer teatro, música, dança e outras manifestações artísticas é um ato político e temos que enfiar goela adentro daqueles que ignoram os fazedores de cultura, que rexistem nas periferias de São Paulo.

Nós, do Informativo Ôxe" junto com o Teatro Girandolá, chegamos no espaço cedo, esse espaço que foi feito com muito cuidado e delicadeza pelo grupo, com paredes pintadas e uma decoração linda de se ver. Montamos o cenário para apresentar o "Ara Pyau - Liturgia Para O Povo Invisível", que foi apresentado às 17h30, na frente do Teatro Contadores de Mentira, antes disso o grupo Buraco D’oráculo já tinha apresentado “Ópera do Trabalho” e eles estavam lá, para ver o espetáculo do Girandolá, que retrata o encontro do grupo com a comunidade indígena do Jaraguá, o clima da apresentação foi maravilhoso, com a casinha dos Contadores construída no fundo, mudando o cenário e energizando a rua.
Depois da apresentação, as Clarianas nos presentearam com o show musical “GIRANDÊRA – O canto que precisa ser contado”, a necessidade do canto é gritante nas interpretações dessas mulheres lindas e batalhadoras, as canções arrepiaram toda a plateia, que dançava ao som de “Clariana, forte como a terra, doce que nem cana” e outras letras significativas.

E pra fechar a noite, teve muito vinho, entrega e ritual, todos os espectadores vivenciaram o “RITO V - Transubstanciação: Ritual de Queima da casa e Banquete”, onde os integrantes do Contadores de Mentira compartilharam um momento difícil que estão passando, do risco de perder o espaço e queimaram a casa que foi construída no começo da programação do “E(s/x)tirpe”, despiram-se e emocionaram todos, que sentiram a sinceridade e o amor que essas pessoas sentem pelo seu trabalho.
Nossas realidades são parecidas e vivenciar essa noite foi um presente, que lembraremos pelo resto de nossas vidas. VIVA O CONTADORES DE MENTIRA, uma trupe formada pela pior estirpe das estirpes ruins! Viva Suzano, viva Francisco Morato, Viva Taboão da Serra, viva Cidade Tiradentes, viva Santo André, vivo São Miguel Paulista, viva Mogi das Cruzes, viva Ribeirão Preto, viva Presidente Prudente e todos esses lugares que mesmo massacrados pelos órgãos públicos de cultura, continuam fazendo arte e que, a despeito de todo o descaso, continuam celebrando e ritualizando seus trabalhos! Clique aqui e conheça o grupo que organizou esse encontro. Fique com as imagens do espetáculo abaixo: