Ops!!!

Não era bem isso que você esperava encontrar???

Mas não se preocupe, se você chegou até aqui
é porque ainda não sabe da grande novidade.

Pois bem, passamos por uma reformulação completa e agora mudamos de endereço. 

Oxe o que e

A partir de agora todo os posts publicados no blog do ÔXE! estão abrigados neste novo endereço.

Então sem mais delongas, para continuar acompanhando o ÔXE!, saber de todas as novidades da Associação Cultural CONPOEMA e do Teatro Girandolá, acesse:

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Ara Pyau na Flaskô

Aumentar texto Diminuir texto
No último final de semana, o Teatro Girandolá aprontou as malas para apresentar seus espetáculos em duas cidades diferentes. A primeira parada foi em Sumaré, interior de São Paulo, onde o grupo apresentou o espetáculo “Ara Pyau – Liturgia para o povo invisível”, na Fábrica Flaskô, espaço ocupado por trabalhadores, e que há 11 anos está sob o Controle Operário.

Depois da ocupação, integrantes do movimento realizaram diversas ações para potencializar a luta dos trabalhadores da fábrica e promover atividades culturais e esportivas à comunidade do entorno, como a construção do galpão de esportes e cultura, onde acontecem atividades de caráter público, que buscam a reflexão e a contribuição para a formação de sujeitos que se reconheçam protagonistas diante da história.

O Festival de Cultura da Fábrica de Esportes e Cultura da Flaskô, existe desde 2010 e o Teatro Girandolá participou dessa quinta edição, apresentando numa escola próxima à fábrica, para cerca de 200 alunos, que assistiram o espetáculo atentamente, surpreendendo os atores, que achavam que seria uma apresentação difícil por conta da quantidade de público, já que o “Ara Pyau” geralmente é apresentado para no máximo, 80 pessoas. Mas tudo correu bem e no final do espetáculo, como de praxe, houve um bate papo entre os estudantes e os integrantes do Girandolá, numa troca de saberes e experiências, onde muitas curiosidades sobre os guaranis m'bya das aldeias do Jaraguá, foram esclarecidas e discutidas.

Hawe'ete (obrigado) aos estudantes de Sumaré, à organização do festival e que venham mais anos de ocupação dessa fábrica. A programação do festival vai até dia 31 de agosto, confira a programação completa aqui. Agora só resta apreciar as imagens abaixo e conferir aqui como foi a segunda parada do grupo, em Lambari - MG.