Ops!!!

Não era bem isso que você esperava encontrar???

Mas não se preocupe, se você chegou até aqui
é porque ainda não sabe da grande novidade.

Pois bem, passamos por uma reformulação completa e agora mudamos de endereço. 

Oxe o que e

A partir de agora todo os posts publicados no blog do ÔXE! estão abrigados neste novo endereço.

Então sem mais delongas, para continuar acompanhando o ÔXE!, saber de todas as novidades da Associação Cultural CONPOEMA e do Teatro Girandolá, acesse:

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Conto de Todas as Cores nas ruas

Aumentar texto Diminuir texto
A rua ainda é o espaço mais público e mais apropriado pelo povo, nela cabem pessoas de todos os gêneros e  idades, misturam-se os povos de todos o lugares, de todas as cores e credos. Ela dá espaço e voz para todas as classes sociais, e principalmente pra quem nela mora.
É na rua que o povo se sente a vontade para conversar, jogar dominó, bater uma bola, e também para pregar, mostrar suas ideias e invenções, é o local que muitos escolhem para trabalhar e levar o pão para sua mesa.
É este também o espaço de troca que muitos grupos teatrais encontram para dialogar diretamente com a população, esse lugar sem barreiras, esse lugar que chega, que toca e une. 
O movimento de Teatro de Rua de São Paulo comemora seus 10 anos de resistência, e entre os dias 03 e 08 de dezembro realizou a VIII mostra de teatro de rua Lino Rojas, levando para praça do Patriarca e CDC Vento Leste e Centro Cultural Arte em Construção espetáculos gratuitos de grupos da capital e interior do Estado, e também de outros três estados do país: Santa Catarina, Mato Grosso do Sul e Brasília.
O Conto de Todas as Cores, do Teatro Girandolá, foi apresentado no dia 06 de dezembro, sexta-feira passada, para a classe teatral que acompanhou a mostra e também para os transeuntes, trabalhadores e moradores daquela localidade. 


O Girandolá não é um grupo de teatro de rua, e também não é um grupo de teatro de caixa. Seus espetáculos são pensados e desenvolvidos numa pequena sala de ensaio  na Vila Suíça, e de lá saem para o mundo, seja para teatros equipados, ou para todos os outros locais onde o acesso seja mais democrático, espaços não convencionais, praças, parques, escolas, e ruas. 
E como o mundo é grande, e não falta criança para ver, espaço para colorir, e muito lugar para ir, depois de 5 anos de existência, esse espetáculo ainda tem muito o que Contar!