Ops!!!

Não era bem isso que você esperava encontrar???

Mas não se preocupe, se você chegou até aqui
é porque ainda não sabe da grande novidade.

Pois bem, passamos por uma reformulação completa e agora mudamos de endereço. 

Oxe o que e

A partir de agora todo os posts publicados no blog do ÔXE! estão abrigados neste novo endereço.

Então sem mais delongas, para continuar acompanhando o ÔXE!, saber de todas as novidades da Associação Cultural CONPOEMA e do Teatro Girandolá, acesse:

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Viva a Consciência Negra!

Aumentar texto Diminuir texto
Dia 20 de novembro, comemora-se o dia da Consciência Negra, a escolha dessa data não é a toa, há 318 anos atrás, em 20 de novembro de 1695, morria Zumbi dos Palmares, líder da luta contra a escravidão no Quilombo dos Palmares, na Serra da Barriga, em Alagoas, lugar que abrigava escravos fugidos das fazendas, onde todos podiam viver livremente, Zumbi foi o último líder e na sua época, o Quilombo chegou a ter trinta mil habitantes.

E a luta continua até hoje, porque muitas coisas precisam ser feitas referente à igualdade racial no Brasil, mesmo depois de tantos anos de batalha, ainda tropeçamos em problemas, que por mais que nos tentem justificar, percebemos nas entrelinhas que é um racismo velado, onde todos não são tratados igualmente, mas fingem ser, onde o negro não é respeitado e até hoje sofre atos preconceituosos. Por isso, é impensável ouvir que é preciso ter um dia da consciência branca, porque os brancos não sofreram, não foram escravizados, não eram subalternos, e sim, os europeus civilizados e privilegiados da história, e continuam tendo seus privilégios até hoje.

Essas datas existem para as maiorias discriminadas possam ser ouvidas, maioria sim, porque em Francisco Morato, cerca de 57% da população é negra e está na luta diária do trem, do trabalho, na tentativa de ter uma vida digna e todos exigem respeito. Essa luta é de todos nós, precisamos apoiar eventos que valorizem a cultura afrodescendente, lutar por uma cidade justa, pra que mais pra frente, possamos ter um país verdadeiramente livre de racismo, onde todos se respeitem e ninguém se ache melhor do que o outro pela classe social ou pela cor da pele.

E pra correr atrás desse respeito, gerar discussão e criar reflexões, ontem aconteceu aqui em Francisco Morato a 5ª Virada Municipal da Consciência Negra, realizada pelo Conselho da Comunidade Negra da cidade, com diversas atrações pra engrandecer esse dia. Quem estava no evento, realizado no calçadão em frente a estação de trem, podia curtir barracas de artesanatos, de doces e até uma barraca com acarajé e cuscuz, comidas típicas da cultura afrodescendente, já conferindo as apresentações, teve uma bela dança infantil, a banda Tensando, tocando um rock pra galera, uma roda de capoeira contagiante com a Capoeira Cordão de Ouro, muito samba de raiz pra animar a tarde, com Os Coroas Sensatos da Estação Primeira de Fco. Morato, depois o tapete vermelho foi montado para o desfile de moda das alunas do Profº Lucio da casa de cultura, teve um pagodinho com o grupo Poder de Sedução, todas as canções foram acompanhadas pela profissional Cintia Cardoso, com tradução simultânea para LIBRAS, em seguida, o pugilista Valdevan Pereira, mais conhecido como Baiano, subiu no ringue montado no calçadão para lutar e saiu vitorioso, depois de momentos de tensão na luta, foi hora de relaxar ao som do grupo de pagode Nosso Momento.com, em seguida a galera do street dance fez incríveis apresentações, e pra fechar a noite o G.R.A.D.I, entrevistado da edição do Ôxe! desse mês (confira aqui), cantou suas diversas letras de protesto com seu rap muito bem feito. Salve, salve Morato, que representou muito bem esse dia tão importante pro nosso país.

Confira as imagens e entre nessa luta! VIVA ZUMBI, VIVA O NEGRO, VIVA A IGUALDADE!

"Zumbi, o teu grito ecoou
No Quilombo dos Palmares
Como um pássaro que voou
Tão liberto pelos ares
Um grito de dor e de fé
Ficou registrado na nossa história
Pela luta, pelo axé pela garra, pela glória"
                                                  Trecho da música Negro Zumbi - Leci Brandão