Ops!!!

Não era bem isso que você esperava encontrar???

Mas não se preocupe, se você chegou até aqui
é porque ainda não sabe da grande novidade.

Pois bem, passamos por uma reformulação completa e agora mudamos de endereço. 

Oxe o que e

A partir de agora todo os posts publicados no blog do ÔXE! estão abrigados neste novo endereço.

Então sem mais delongas, para continuar acompanhando o ÔXE!, saber de todas as novidades da Associação Cultural CONPOEMA e do Teatro Girandolá, acesse:

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

É preciso lembrar pra não esquecer, Ôxe!

Aumentar texto Diminuir texto
No dia 20 de Novembro de 1695, dois anos após a invasão do maior quilombo do período colonial; após ter bravamente resistido, sendo ferido, traído e apunhalado, finalmente o governo brasileiro conseguia assassinar Zumbi dos Palmares, seu último e mais conhecido líder. Mas, comprovando as crenças da época, Zumbi não morreu lá; seu espírito vive até hoje e desde a década de 60 é lembrado, assim como toda a resistência do negro à escravidão de forma geral, no que só muito recentemente foi instituído oficialmente como o Dia Nacional da Consciência Negra. Tendo tanto ainda para se fazer para minimamente reparar a dívida histórica que nosso país tem com os afrodescendentes, ainda mais no primeiro ano da Década Internacional dos Povos Afrodescendentes, a gente obviamente não poderia deixar essa data passar... em branco.

Nessa edição confira o ótimo texto de Tamires Santana sobre a data, o do Sidney Santos sobre o preconceito racial, a 5ª Virada Municipal da Consciência Negra na contracapa, o ótimo bate-papo que tivemos com o EJB do coletivo G.R.A.D.I. Morato, Meire Ramos falando de como foi a viagem do Teatro Girandolá à Colômbia, dois textos sobre as coisas que não tem preço nessa vida (Danilo Góes e Frank Neres), guerra e paz no texto de Joyce Milena e Messias Silva, o certo e errado na poesia de Régis Andrade, o estratégico poema de Messias Silva, a tirinha de Vinícius Macedo, a charge de Betto Souza, quatro super dicas Na Faixa, Registro, pílulas de sabedoria negra e mais!

Então, já sabe, passe em um ponto de distribuição (veja o mais próximo aqui) e pegue seu exemplar. Se preferir, baixe a versão digital (através deste link) ou leia diretamente do seu navegador (clicando aqui). E lembre de comentar, compartilhar, curtir e se cadastrar no cadastro dos artistas do Fórum Permanente de Cultura da Bacia do Juquery (veja AQUI)!

E vamos lembrar pra não esquecer!




.