Ops!!!

Não era bem isso que você esperava encontrar???

Mas não se preocupe, se você chegou até aqui
é porque ainda não sabe da grande novidade.

Pois bem, passamos por uma reformulação completa e agora mudamos de endereço. 

Oxe o que e

A partir de agora todo os posts publicados no blog do ÔXE! estão abrigados neste novo endereço.

Então sem mais delongas, para continuar acompanhando o ÔXE!, saber de todas as novidades da Associação Cultural CONPOEMA e do Teatro Girandolá, acesse:

segunda-feira, 9 de julho de 2012

Vídeo-resumo da Exposição Axé du Ôxe!

Aumentar texto Diminuir texto
“Esplêndido”. Não há palavra melhor para descrever a satisfação que foi realizar este projeto. Desde as obras veiculadas durante mais de um ano na contracapa do Informativo Ôxe! que culminou com a realização da Exposição Axé du Ôxe!, em muitos aspectos ele nos surpreendeu e nos fez repensar a relação e a importância das artes plásticas em nossa região. Seja dos relatos das pessoas que colecionaram as edições ou da professora que trabalhou essas obras, de artistas de nossa região, em sala de aula. Também foi nas visitas, com rostos deslumbrados com as pinturas, mas principalmente na satisfação dos artistas que tiveram uma ótima oportunidade de mostrar seus trabalhos, mas também de se relacionar e trocar experiências com seu público. Por isso tudo e mais um pouco que acreditamos que esta experiência foi significativa e edificante não só para nós.

Mais que isso, acreditamos que este projeto permitiu à população se apropriar da arte. Seja se inspirando, influenciando ou fotografando com câmera ou celular. E este direito do ser humano, que deveria estar disponível para todos (não só para quem detêm cifras milionárias), certamente interferiu e modificou a visão de mundo e cotidiano de quem visitou a exposição. E, em outro sentido, este projeto teve uma função que nos surpreendeu: a de mostrar que arte não é só Picasso, Ticiano e Dali, mas também Marcos Pamplona, Douglas Scotti e Fabio Campanhola. E também que artista não é só o cara que tá no livro e já morreu, nem é só o cara que mora tão longe que parece de outro planeta, mas que eles também vivem em nossas cidades; andam, conversam e se portam como outra pessoa qualquer. Como eu, você e aquele cara ali. E isso também é um modo de se apropriar da arte, de tomá-la para si e para suas experiências e cotidiano. Por mais bobo que possa parecer, mas ainda assim muito significativo, um jeito de permitir que se possa dizer: “Onde eu moro também tem arte e artista”.

E só por isso já teria valido muito, muito a pena!.

A Exposição Axé du Ôxe! teve um público de mais de 1500 pessoas e atendeu cerca 700 alunos de 6 escolas da rede pública de ensino de Franco da Rocha (com salas de ensino fundamental, médio e EJA) e 5 adolescentes em medida de proteção da Fundação Casa. Além da exposição, o projeto produziu 200 pastas-catálogos que traziam em seu interior 14 lâminas, uma para cada artista, com biografias e 3 obras que faziam parte da exposição. Essas pastas-catálogos foram distribuídas gratuitamente para os artistas expositores, instituições educacionais, instituições e coletivos culturais.

A realização desse projeto possibilitou a projeção das artes plásticas na região onde foi realizado, pois foi a primeira vez que um grupo de artistas conseguiu organizar e realizar uma exposição de maneira profissional e de forma independente, com suportes adequados para as obras, confecção de catálogos, impressão de material gráfico de divulgação e ampla divulgação. E essa projeção só foi possível graças ao apoio do ProAC da Secretaria de Cultura do Governo do Estado de São Paulo e a parceria firmada com a Prefeitura de Franco da Rocha e ao grande empenho dos artistas, do curador e da equipe de produção do projeto.

Agora, a gente vai se despedindo do projeto, não de uma maneira saudosa, pois em nossa região ainda há tudo por fazer e muito trabalho pela frente. Mas antes, com a boa sensação de que fizemos algo bacana e que possibilitou encontros e momentos belíssimos. E se você pôde estar conosco nesses dias, primeiro nosso agradecimento e aproveite para relembrar como foi a exposição nesse vídeo aí embaixo. Se não pôde, veja como foi.


.