Ops!!!

Não era bem isso que você esperava encontrar???

Mas não se preocupe, se você chegou até aqui
é porque ainda não sabe da grande novidade.

Pois bem, passamos por uma reformulação completa e agora mudamos de endereço. 

Oxe o que e

A partir de agora todo os posts publicados no blog do ÔXE! estão abrigados neste novo endereço.

Então sem mais delongas, para continuar acompanhando o ÔXE!, saber de todas as novidades da Associação Cultural CONPOEMA e do Teatro Girandolá, acesse:

quarta-feira, 30 de março de 2011

A Grande paranóia de Darren Aronofsky

Aumentar texto Diminuir texto
Por: Lilian Freire

Quentin Tarantino. David Fincher. James Cameron. Esses são apenas alguns exemplos de diretores que são, inegavelmente, talentosos e renomados. Quem nunca ouviu falar de Kill Bill? Fight Club? Avatar? Mas, mesmo com tantos diretores que possuem seu público, ainda surgem outros, que aos poucos vão conquistando o público e a crítica.

Um nome que vem sendo citado é o de Darren Aronofsky. Bastante conhecido entre os amantes do cinema, mas nem tanto para os leigos. Atualmente é mais conhecido por dirigir o aclamadíssimo filme Cisne Negro, mas outros filmes fazem parte de sua lista não tão extensa de trabalhos: Pi, Réquiem para um Sonho, Fonte da Vida e O Lutador.

Um diretor/roteirista que, em seus filmes (ou na maioria deles), explora a mente, com suas conturbações e paranóias. Um típico filme de Aronofsky nos perturba, nos faz refletir, nos faz perder o discernimento do real e do imaginário. Somos sempre levados a questionar durante o filme: Será que isso é realidade ou está se passando apenas na cabeça do personagem? Essa é a marca de Darren Aronofsky.



Quer conhecer mais sobre os filmes dele? Não deixe de conferir o Especial Darren Aronofsky no Poltrona Numerada, por aqui - http://poltronanumerada.blogspot.com/search/label/.E.Aronofsky

E aí, você já leu um filme hoje?

http://poltronanumerada.blogspot.com/

- sobre paranóia.