Ops!!!

Não era bem isso que você esperava encontrar???

Mas não se preocupe, se você chegou até aqui
é porque ainda não sabe da grande novidade.

Pois bem, passamos por uma reformulação completa e agora mudamos de endereço. 

Oxe o que e

A partir de agora todo os posts publicados no blog do ÔXE! estão abrigados neste novo endereço.

Então sem mais delongas, para continuar acompanhando o ÔXE!, saber de todas as novidades da Associação Cultural CONPOEMA e do Teatro Girandolá, acesse:

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Artevismo sobre os escombros

Aumentar texto Diminuir texto
Demorou um pouquinho, mas segue aí.

No ultimo domingo (06/02) marcamos presença na ação promovida pela Comunidade Cultural Quilombaque em Perus (São Paulo-SP) contra a derrubada do coreto na praça Inácio Dias em frente a estação da CPTM no bairro. Além de ser uma construção histórica do bairro, o coreto também servia de palco para diversas ações sócio-culturais do Quilombaque e (o que foi apontado como motivo da demolição) lar para diversos moradores de rua que frequentam as redondezas. Além do óbvio crime contra a memória do bairro e o absoluto descaso com as atividades desenvolvidas pela Comunidade Cultural, o fato revela algo mais grave ainda: o desrespeito e desvalorização da vida humana, onde a sub-prefeitura pretende expulsar pessoas como se fossem cães, pombos ou ratos. Mais que isso, a atitude lamentável esconde a real e preguiçosa intenção de simplesmente jogar a "sujeira" para debaixo do tapete e não realmente resolver o problema.

Eis um belo exemplo da política fascista da direita imbecilóde da capital paulista, onde se plantam coronéis da PM na gestão das sub-prefeituras e o ser humano, como valor, ocupa a posição Z. Onde se troca a história das pessoas por modernas construções vazias. Onde o crescimento econômico é mais importante que o crescimento humano. Onde os balancetes estão a frente dos livros e onde o PIB vem antes que o IDH. Lá, as coisas são mais importantes que as pessoas e ter é mais importante do que ser. Mas por sorte, ainda existem verdadeiras frentes de resistência como o Quilombaque, onde a arte, a cultura, o humanismo, a liberdade e a fraternidade podem se entrincheirar e produzir tardes belíssimas, repletas poesias, músicas, cultura, identidade e verdade, como as desse domingo.

E foi assim mesmo, sobre os escombros do coreto que a ação aconteceu e pôde contar com o apoio e apresentação de diversos coletivos como o Projeto Espremedor, Sarau Elo da Corrente, Sarau Poesia na Brasa, Grupo Pandora, Trupe Liuds, Esquadrão Arte e Capoeira, Escola de Samba Valença, Phone Raps, Saci, Cia Risos, Cia do Acaso, Teatro de Cordel e Movimento de saúde popular de Perus. Nada de palcos high-tech nem pirotecnias tecnológicas, muito menos ingressos a preços exorbitantes, tudo muito simples e altamente significante, com coisas muito mais importantes. Como poesia e humanismo, por exemplo.

Confira as imagens:



Saiba mais sobre a ação no blog da Comunidade Cultural  Quilombaque:
http://comunidadequilombaque.blogspot.com/2011/02/artevismo-na-praca_07.html

Sobre a derrubada do coreto:
http://comunidadequilombaque.blogspot.com/2011/02/adeus-coreto.html

Cobertura da grande imprensa sobre a ação:
http://comunidadequilombaque.blogspot.com/2011/02/quilombaque-na-imprensa_08.html
e
http://comunidadequilombaque.blogspot.com/2011/02/mais-quilombaque-na-imprensa.html



.