Ops!!!

Não era bem isso que você esperava encontrar???

Mas não se preocupe, se você chegou até aqui
é porque ainda não sabe da grande novidade.

Pois bem, passamos por uma reformulação completa e agora mudamos de endereço. 

Oxe o que e

A partir de agora todo os posts publicados no blog do ÔXE! estão abrigados neste novo endereço.

Então sem mais delongas, para continuar acompanhando o ÔXE!, saber de todas as novidades da Associação Cultural CONPOEMA e do Teatro Girandolá, acesse:

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Imitação não é evolução, é retrocesso

Aumentar texto Diminuir texto
Por: Daniela Mendes

O ser humano é contraditório por natureza. Será mesmo? Espero crer e fazer o possível para que essa ideia limitada não seja totalmente verdade. Mais uma vez aqui, vou me ater a um fato desagradável para elucidar algumas questões e defender meus argumentos. Faz um tempo já, me deparei com mais uma da indústria cultural, ou como alguns preferem “arte comercial”. Muito bem, quando estudamos as teorias dos grandes intelectuais da comunicação, aprendemos que a arte atualmente tornou-se mais uma ferramenta do capitalismo. Música, Literatura... Enfim, nada escapa mesmo desse mercantilismo avançado. Isso não quer dizer que as obras artísticas perderam seu valor, obviamente isso foi favorável para democratizar os meios de divulgação dos artistas e suas respectivas obras, na verdade, absolutamente tudo o que um artista produz hoje, até mesmo no meio underground estará ligado inevitavelmente a algum meio capitalista e globalizado para difundi-lo.

O problema é quando artistas prepotentes que se dizem defensores de tal causa dentro de um movimento artístico-social se contradizem da forma mais estúpida e comercial possível. Puxa, fico muito triste com uma coisa dessas... É como aquele tipo de mal estar que você sente quando uma pessoa que você admira muito faz uma coisa decepcionante... Não é chato? Pois é... Eu senti isso quando me deparei com um tal de projeto paralelo que uma banda e alguns rappers (dois em especial) , fizeram com outros músicos da cena comercial e ideias contrárias. Falar que esse ou tal artista se vendeu, visto que era do underground e vestia a camisa do pessoal engajado é muito fácil... Não, não... Minha decepção é tão grande, que vai além dessa simples afirmação. Vender seu trabalho não é pecado não, o que é lamentável (insisto) é fazer parte de um movimento sério e andar pra trás... É trair cada verso escrito com uma ação barata, e o pior de tudo: em troca de mais uma cópia que a galera mais seletiva já ta careca de ouvir, plagiando uma fórmula já criada. Aí, encontrei algumas pessoas que antigamente desciam o verbo na banda que fez esse projeto com os rappers e agora babam por eles! É inacreditável como a mídia manipula mesmo a opinião de todo mundo. Parece que a imitação que fizeram junto com a credibilidade das letras dos rappers, deram à eles o estado de banda respeitável... "ah sim, agora eles evoluíram!". Evoluir onde, pelo amor de Deus... Pra mim, imitação não é evolução, é retrocesso.