Ops!!!

Não era bem isso que você esperava encontrar???

Mas não se preocupe, se você chegou até aqui
é porque ainda não sabe da grande novidade.

Pois bem, passamos por uma reformulação completa e agora mudamos de endereço. 

Oxe o que e

A partir de agora todo os posts publicados no blog do ÔXE! estão abrigados neste novo endereço.

Então sem mais delongas, para continuar acompanhando o ÔXE!, saber de todas as novidades da Associação Cultural CONPOEMA e do Teatro Girandolá, acesse:

terça-feira, 26 de maio de 2009

O que eu não quero ser quando crescer.

Aumentar texto Diminuir texto

O que eu quero ser quando crescer? Perguntinha difícil de responder. Não que eu não saiba a resposta. A resposta é simples: Desenhista de histórias em quadrinhos. Na verdade, o que acho realmente difícil é saber quais profissões ainda serei obrigado a exercer até esse crescer chegar?
Não sei bem o que serei e farei até conseguir alcançar meu objetivo, mas sei bem o que não quero fazer de jeito nenhum, e uma delas é trabalhar como operador de telemarketing. Prefiro mil vezes catar latinhas na rua pra descolar o almoço do que ter que ficar ligando pra casa de gente que não conheço, pra tentar vender um produto que eu nem uso porque sei que não presta pra bater uma meta desumana. Os operadores de telemarketing, também conhecidos como atendentes de SAC e operadores de televendas, Estão entre as profissões mais odiadas do mundo. Eles perdem apenas para árbitros de futebol; os CET (os marronzinhos do trânsito, saca?), e os flanelinhas. E outra, porque eu iria querer uma profissão que está com os dias contados? É verdade! Na Super Interessante de Fevereiro de 2009, a matéria “Do outro lado da linha” fala sobre a automação dos Call Centers, que em breve estarão substituindo os atendentes por computadores com inteligência artificial. Essas máquinas estarão aptas a escolher o melhor horário para ligar pra você, analisar sua voz pra ver se você está estressado, insatisfeito e até mesmo se está mentindo. Resumindo, se você exerce essa inglória profissão, acho melhor você ir estar fazendo outro curso pra vir a estar melhorando seu currículo.
Também não quero entrar para a política. Se bem que, das profissões que exigem um mínimo de conhecimento específico, ser prefeito/vereador/etc. é a mais fácil de todas. Nem é preciso falar de nosso etílico e risonho Presidente da República, pois basta se lembrar dos que ocuparam e ocupam muitas cadeiras na Câmara Municipal de nossa suburbana cidade pra ver do que estou falando. Porém, recomendo esse tipo de trabalho para aqueles que trabalham com desentupimento de fossas e encanamentos. O cheiro de bosta é o mesmo, mas o salário é bem maior!
Trabalhar na polícia? De jeito nenhum! Levar tiro de bandido pra ganhar uma mixórdia no final do mês? Tá bom! Até minha mãe ia preferir me ver na política.
Bandido então? Nem a pau! Se fosse pra viver às custas do dinheiro dos outros, até eu ia preferir me ver na política.
Médico até que ganha bem, mas se o ser humano já é podre por natureza, imagine aquele que está procurando um médico? Manja aquelas hemorróidas que o sujeito não cuidou e estuporaram? E pra ajudar o cara ainda chega pra ser examinado com a cueca cheia de melena? Você não sabe o que é melena? Ainda bem... Mas então, por essas e outras, prefiro ser mecânico! Graxa e óleo não fedem tanto...
Não, também não quero ser pastor! Sei que dá uma baita grana, tá na moda e ainda dá pra usar todos aqueles anos de malandragem do passado como testemunho. Mas se for pra enganar pessoas humildes, inocentes e na maioria das vezes com pouca instrução, prefiro colocar umas maquininhas caça-níqueis em minha garagem! É lucro certo! Isso sem contar outra profissão nesse mesmo meio, que ainda não foi reconhecida por motivos óbvios, mas que existe há muitos séculos. Não, não é de prostitutas que estou falando, mas dos possuídos. Os possuídos são pessoas que aceitam uma merreca para fingirem que estão possuídos por algum espírito maligno, para que o pastor, com seus poderes celestiais possa exorcizar essa criatura, salvando e abençoando mais uma pobre alma do fogo do inferno. Os enfermos também têm seu espaço garantido nos cultos. Paraplégicos que voltam a andar, cegos que recuperam a visão. Tem pastor que cura até gente com AIDS.
Enfim, não importa a profissão que temos, mas sim se gostamos ou não de exercê-la. Você se sente feliz quando acorda para ir trabalhar? Não? Então tá esperando o que pra mudar o rumo de sua vida? Não adianta ficar reclamando que nunca teve uma chance, porque por mais que isso seja verdade, cabe apenas a nós decidirmos o que queremos ser daqui para o resto de nossas vidas.
Você já alcançou seus objetivos? Conseguiu o emprego de seus sonhos? Olha só que maravilha! O que? É dono de uma editora? Procurando por desenhistas? Cara, hoje é o seu dia de sorte!
Humpf! Quem me dera se fosse assim tão fácil...

MIOZZY – Desenhista e desempregado